CIMA 2019

Já está definido o roteiro para a edição anual do CIMA, o Circuito Itinerante de Música Autoral. O CIMA pretende chamar a atenção para a importância e a necessidade de uma política pública para a música produzida no RN.

Em 2017, a circulação ocorreu com o show Alma de Poeta, de Esso, e agora ele retorna à estrada com ‘Agreste’, para apresentar o seu terceiro disco, Várzea da Caatinga.

O trabalho é uma iniciativa da FEL Produções de Arte, que este ano procurou fazer essa articulação através do Núcleo de Produção Cultural Cooperada, buscando mais uma vez entre artistas e produtores um caminho favorável à exposição da produção musical autoral pelo estado, alcançando um público além da capital.

Confira as datas na coluna ao lado.

cima 2019 bâner

Sponsored Post Learn from the experts: Create a successful blog with our brand new courseThe WordPress.com Blog

Are you new to blogging, and do you want step-by-step guidance on how to publish and grow your blog? Learn more about our new Blogging for Beginners course and get 50% off through December 10th.

WordPress.com is excited to announce our newest offering: a course just for beginning bloggers where you’ll learn everything you need to know about blogging from the most trusted experts in the industry. We have helped millions of blogs get up and running, we know what works, and we want you to to know everything we know. This course provides all the fundamental skills and inspiration you need to get your blog started, an interactive community forum, and content updated annually.

CIMA 2017

Tomando como mote a Poesia e a celebração do Dia Nacional da Poesia em março, ESSO adotou o mês para viajar com a turnê do concerto-recital ‘Alma de Poeta’, homônimo do seu disco dedicado à poesia, e pega a estrada para visitar cidades em várias regiões potiguares.

Parte do objetivo da viagem é promover a campanha de financiamento coletivo da gravação do seu terceiro álbum, que atualmente vem sendo gravado e a ser chamado Várzea da Caatinga.

Também almeja plantar a ideia de uma circulação musical da produção autoral pelo estado, alcançando um público além da capital, abrindo uma rota de maior interação entre a música potiguar, envolvendo uma cadeia de artistas e produtores que apostem nesse formato mais autônomo de aproximação do público estadual com os artistas potiguares, via processos coletivos que engajam, dinamizam e socializam através das redes de compartilhamentos e das apresentações presenciais.

cima-baner